Energia Solar Fotovoltaica

Sistema de Energia Solar Fotovoltaica On Grid

Entenda agora como um sistema de energia solar fotovoltaica funciona

energia solar fotovoltaica

Sistema de Energia Solar On Grid

O sistema de energia solar fotovoltaica ON Grid é um sistema de energia solar ligado a rede da concessionária de energia elétrica. 

Neste tipo de sistema fotovoltaico você troca a energia gerada pelo seu sistema por créditos que a concessionária disponibiliza nos endereços em que a fatura de energia esteja na mesma titularidade.

Além disso, é mais barato que um sistema Off-Grid que precisa de banco de baterias para disponibiliza-la a noite quando não estará gerando energia.

Desde 2012 é possível gerar a própria energia elétrica

Graças à resolução 482 da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) que regularizou a micro e mini geração distribuída no Brasil, o sistema funciona em forma de compensação de energia. 

Dessa maneira é possível o consumidor instalar pequenos geradores de energia solar fotovoltaica em sua residência, comércio ou indústria e trocar energia por créditos com a distribuidora local. 

Uma vez que tenha alguma dúvida voce também pode acessar mais informações sobre a Resolução 482 no Caderno Temático publicado pela ANEEL.

O que mudou na Resolução 482 (atual REN 687) sobre a energia solar fotovoltaica?

autoconsumo remoto resolução 482
geração compartilhada resolução 482
uso em condomínios resolução 482
créditos de energia resolução 482

Perguntas frequentes sobre energia solar fotovoltaica

Hoje, a energia solar já é mais barata que a energia que utilizamos das concessionárias de energia. Já que o sol  é, o único recurso que precisamos, logo que é abundante e gratuito. 

Com o aumento das tarifas de energia elétrica ocorridas no final de 2014, a geração solar ficou ainda mais atrativa do ponto de vista financeiro. Uma vez que no contexto energético brasileiro atual, a tendência é que novos aumentos das tarifas aconteçam. 

Ou seja se você possui um Sistema Solar Fotovoltaico, você está imune aos aumentos tarifários, pois você passa a gerar sua própria energia.

A matriz energética brasileira é altamente dependente da fonte hidroelétrica e o Brasil vive hoje uma das mais intensas estiagens já registradas. Grande parte dos reservatórios de nossas usinas hidrelétricas estão em níveis muito baixos. 

Além disso, o ritmo de construção de novas usinas vem caindo, devido ao esgotamento de grandes rios que suportem novos empreendimentos, aliado à questões ambientais. 

Isto é somado ao aumento do consumo elétrico esperado para os próximos anos, consequentemente configurando uma relação desproporcional entre oferta e demanda de energia elétrica no país. 

Dessa forma, a tendência é de imprevisibilidade no preço da energia elétrica nos próximos anos, com um provável aumento nas tarifas.

Hoje o payback de um sistema fotovoltaico varia entre 4 a 5 anos, de acordo com a região e com o local que o sistema será instalado. Com os aumentos esperados da tarifa energética nos próximos anos, a previsão é que o payback do investimento do sistema cairá ainda mais, podendo chegar, surpreendentemente a 3 ou 4 anos.

No racionamento ocorrido no Brasil em 2001 foi fixado um limite máximo de consumo elétrico para os clientes residenciais. Do mesmo modo em que, num eventual racionamento que aconteça, caso o consumo máximo residencial seja novamente estabelecido, os micro e mini geradores terão vantagem, pois gerarão sua própria energia.

 Embora vale lembrar que, as regras sobre este ponto ainda não foram estabelecidas pelos órgãos competentes.  

Diversas cidades brasileiras oferecem incentivos fiscais para micro e mini geradores fotovoltaicos como descontos no ITBI, ISS e até 20% de desconto no IPTU.
 
Nos Estados Unidos, onde este mercado já se encontra em um estágio mais maduro, é verificado uma valorização média de 8% nos imóveis que possuem sistemas fotovoltaicos (fonte: SunPower). 
 
Do mesmo modo, a tendência é que no Brasil é que tenhamos o mesmo cenário, tendo uma vez que uma casa com sistema de energia solar tem uma conta de luz muito abaixo de uma casa sem este tipo de sistema, 
 
Uma das grandes vantagens de um sistema fotovoltaico é a baixíssima necessidade de manutenção. Uma vez que grande parte dos equipamentos são projetados para durarem mais de 25 anos, sem nenhum tipo de intervenção. 
 
Ou seja, a única necessidade recorrente é a limpeza dos painéis, que acumulam sujeiras e detritos, que podem levar à diminuição da performance do sistema. Embora,, para isso, podemos contar com a chuva, que faz todo este duro trabalho para nós.
O sistema fotovoltaico é composto basicamente por 2 componentes: módulos fotovoltaicos e inversor. Primeiramente,, os módulos são responsáveis por captar a luz do sol e transformá-la em energia elétrica. 
 
Enquanto, o inversor, é o cérebro do sistema, responsável por compatibilizar a energia gerada pelos módulos com a energia que vem da concessionária de energia. É importante ressaltar que o sistema funciona de forma completamente automática. 
 
Ou seja, você não precisará se preocupar com absolutamente nada, pois a compatibilização da energia da rede com a energia produzida pelos painéis é 100% automatizada.  
Toda a energia gerada pelo sistema fotovoltaico que não é consumida é automaticamente fornecida para a rede pública de eletricidade. Através do relógio bidirecional, a quantidade de energia injetada é medida e computada pela concessionária através de créditos. 
 
Estes vêm explícitos na conta de luz e podem ser consumidos em até 60 meses. Existem sistemas de monitoramento online que permite você verificar a quantidade de energia produzida, estando certo que o cálculo está sendo feito da forma correta. 
 
Outra facilidade é a possibilidade do consumo dos créditos em uma outra unidade consumidora, desde que a mesma esteja cadastrada na concessionária com o mesmo CPF ou CNPJ da unidade geradora. Por exemplo, se você tem uma casa de campo e produz mais energia que consome, é possível consumir os créditos gerados em sua casa na cidade, contanto que ambas estejam sob a área de atuação da mesma concessionária de energia.
 
Caso seu projeto seja feito de forma a produzir toda a energia elétrica que você necessita, a sua conta de luz será praticamente zero, restando apenas um valor mínimo referente à iluminação pública e à taxa de disponibilidade da rede, equivalente a aproximadamente R$ 40,00
 
 
Sim, mas caso sua residência seja atendida por alguma concessionária de energia este tipo de projeto não é recomendável. Sendo assim, para se tornar independente da rede elétrica é necessário armazenar a energia gerada pelo sistema em baterias, para os momentos que o sol não fornecer energia (dias muito nublados e durante a noite). 
 
Além disso, as baterias ainda são muito caras, o que torna este tipo de projeto economicamente inviável em situações onde há fornecimento de energia pela concessionária.
 
 
 
Não. Outro grande benefício do sistema fotovoltaico é a não emissão de ruídos. Bem como, diferente de um gerador tradicional, a luz do sol é convertida em energia elétrica por um processo que não gera barulho nem gases. 
 
Você não vai ter que mudar em nada sua rotina e o sistema funciona de forma totalmente automática, sem nenhuma necessidade de intervenção.
 
 
 
 
Os painéis fotovoltaicos geralmente possuem garantia de 25 anos.
 
 
 
 
 
A energia fotovoltaica é livre de geração de gases de efeito estufa, os principais responsáveis pelas mudanças climáticas. Diferente da geração termoelétrica ou nuclear, onde gases e resíduos são gerados, a energia solar é limpa. 
 
Conquanto, outro ponto importante é a não necessidade de desmatamento ou alagamento de grandes áreas, fatores recorrentes em construções de grandes usinas hidroelétricas. 
 
Além disso, a energia do sol é renovável e inesgotável. Ou seja, com um Sistema Solar você passa a contribuir para a redução das mudanças climáticas e a segurança energética das futuras gerações.
 
 
 
 
 
 
Scroll Up